Lada Samara EVA S-Proto

Ninguém poderá criticar a Lada por falta de modelos de competição…para todas as categorias criadas no Campeonato Mundial de Ralis, a Lada apresentou um representante da “cortina de ferro”, embora de uma maneira ou de outra, os resultados obtidos sejam sempre modestos.

Como tal, para o Grupo S, a Lada apostou no Lada Samara, apresentando o modelo Lada Samara EVA S-Proto. No entanto a história deste modelo começou alguns anos antes. Com a entrada do Grupo B, a Lada apostou no Lada Samara para competir nesta categoria, em 1985. No entanto, enquanto que os seus adversários tinham potências na casa dos 500cv e elevada tecnologia ao seu dispor, o Samara dispunha apenas de 150cv…

Em 1986, a Lada decidiu evoluir o seu Samara, apresentando o Lada Samara EVA para 1987, o qual possuía um motor central de 4 cilindros (derivado do VFTS), com injecção electrónica, 16 válvulas e turbo compressor, com cerca de 300cv. Tinha também um chassis tubular, carroçaria feita em fibra de vidro e tracção traseira. Esta evolução seria utilizada no Campeonato Mundial de Ralis desse ano, mas devido ao cancelamento do Grupo B e à dificuldade da Lada em produzir as 200 viaturas de homologação, nunca chegou a correr.

Além desta evolução, a Lada (à imagem da Lancia) decidiu produzir uma viatura de acordo com as regras do Grupo S. O resultado foi o Samara EVA S-Proto, derivado do EVA original, desenvolvido e apresentado ao público em 1989. O S-Proto possuía as mesmas características do EVA (chassis tubular, motor central turbo comprimido e carroçaria em fibra de vidro), tendo como principal diferença a introdução da tracção integral permanente, além da potência do motor ter sido melhorada em cerca de 50cv, atingindo os 350cv (ignorando assim a imposição, no Grupo S, de instalar motores turbo comprimidos com apenas 1200cc e 300cv, introduzida em 1986).

Tanto o EVA, como o EVA S-Proto, acabaram por ser algumas demonstrações técnicas da marca russa, não competindo em nenhum Rali, nem mostrando o que poderiam atingir. No entanto, o Lada Samara mostrou nos Rally-Raid um potencial que poucos esperariam e a sua base partiu do EVA e EVA S-Proto, criados anteriormente.

Como qualquer um pode imaginar, sendo uma operação russa bastante limitada, quer economicamente, como politicamente, as aspirações da Lada nunca poderiam ser demasiado altas, especialmente com rivais de peso como a Lancia e a Audi. No entanto, quem sabe o que o EVA S-Proto poderia ter conseguido no Grupo S…




%d bloggers like this: