Opel Kadett 4S

A história do Opel Kadett 4S começa em 1985, quando a Opel encarregou a MSD de construir o seu representante para o Grupo S, em 1986. Para ajudar na concepção deste projecto, o engenheiro britânico Mike Endean, que trabalhava na Hewland, foi encorajado por Karl-Heinz Goldstein (representante da Opel), para sair da mesma e trabalhar com a Opel. No entanto, o engenheiro preferiu criar a Xtrac (com a reputação segura que conhecemos nos dias de hoje), colaborando no entanto com a Opel neste projecto.

O interesse de ter este engenheiro no projecto passava pela sua experiência no Ford Escort XR3 de Martin Schanche, considerado um dos melhores Fords de Rallycross de sempre. A sua eficácia era tal, que não deixou ninguém indiferente, em especial a Opel. De realçar que tanto Martin Schanche, como Mike Endean tinham tentado “vender” o Ford Escort XR3 à Ford (que tinha em mãos o projecto do Ford Escort RS1700T), o qual coincidiu com o conhecimento por parte da Opel desse facto…

Voltando ao projecto da MSD, o protótipo criado ficou conhecido como o Opel Kadett 4S (ou Opel Kadett 4×4, como alguns denominam), que teve vários contratempos e percalços…O Opel Kadett 4S foi construído tendo como base o Opel Kadett E, ao qual foram instalados peças de partes diversas, cuja integração acabou por não ser muito estudada, resultando numa viatura relativamente fraca.

Na apresentação ao público, o carro apresentava a transmissão do Ford Escort XR3 de Martin Schanche, mas tinha o capot totalmente fechado. A razão? Tinha um motor da Ford lá dentro! De origem Zakspeed, o motor era um 4 cilindros com turbo compressor de 1860cc, criado pela Ford, sendo este o motivo pelo qual não deveria ser revelado a ninguém, muito menos à imprensa, a origem de tal elemento da viatura…No entanto, ao contrário do que seria sensato, anunciaram a todos que aquela viatura tinha um motor com 500cv, o que acabou por suscitar o interesse de todos, levando à descoberta do engodo…

No entanto, pouco tempo após a apresentação da viatura, o Grupo S foi abortado pela FIA (tal como foi explicado no artigo referente ao Lancia ECV), o que prejudicou a Opel, que já tinha dois Opel Kadett 4S prontos a correr, utilizando desta feita motores atmosféricos de 2400cc, provenientes do Opel Ascona/Manta 400. A versão com estes motores seria a ideal para o Grupo S, caso ele não tivesse sido cancelado, visto que dispunha de boa potência (275cv), estando dentro do limite de 300cv previsto para a categoria. No entanto, tanto este motor Opel como o motor Ford, ultrapassavam o limite de 1200cc estabelecido para o Grupo S, limite esse imposto apenas em 1986…

Os motores encontravam-se em posição dianteira, atrás do respectivo eixo, ao contrário do que era norma no Grupo B e S (posição central, à frente do eixo traseiro). Um ponto interessante do Opel Kadett 4S era o facto que este poderia ser utilizado tanto no Grupo B (com o motor Zakspeed), como no Grupo S (com o motor do Opel Ascona/Manta 400, possivelmente limitado a 1200cc).

De referir que o Opel Kadett 4S (com o motor do Opel Ascona/Manta 400 montado, mas com um compressor instalado) participou num único Rali, o Audi Sport Rally, realizado em Outubro de 1986 na Grã-Bretanha. Inscrito no Grupo B, o piloto Andrew Wood levou a viatura ao 4º lugar, atrás de 2 Ford RS200 e um MG Metro 6R4. Anteriormente a isso, dois protótipos do 4S foram testados no Quénia,  em 1985, sendo equipados com o motor da Zakspeed de 500cv.

A Opel decidiu então utilizar as viaturas no Paris Dakar de 1986 (com Erwin Weber e Guy Colsoul, que chegaram em 37º e 40º lugar respectivamente), no qual sofreram graves problemas, incluindo uma inexplicável falta de amortecedores para substituir os elementos danificados! No entanto, Colsoul venceu duas etapas (a antepenúltima, Richard Toll-Dara, com 141km e a última, Linguere-Kolobane, com 142km).

Depois desta fase, os carros foram vendidos a John Welch, que os utilizou no campeonato britânico e europeu de Rallycross. Um destes carros acabou nas mãos do sueco Tommy Kristoffersson, tendo a sua transmissão Xtrac sido transferida para o outro carro do piloto, um Audi Coupé S2 de Rallycross. Desconhece-se a localização do outro veículo…

O Opel Kadett 4S teve como principal problema o timing em que foi desenvolvido e apresentado ao público. Caso o Grupo S não tivesse sido cancelado, esta aposta da Opel teria tudo para poder triunfar. No entanto, tal não aconteceu e o Kadett 4S resultou num redondo fracasso, mesmo noutros palcos do automobilismo mundial…

Anúncios



%d bloggers like this: