Toyota MR2 222D

O projecto da Toyota Team Europe para o Grupo S partiu da falta de competitividade do Celica Twincam Turbo nas especiais europeias. Embora a viatura fosse excelentes nas provas africanas, nas estreitas e sinuosas estradas europeias sentia imensas dificuldades contra os seus adversários do Grupo B, como o Peugeot 205 T16 e o Lancia Delta S4.

Com o anúncio da criação do Grupo S, a TTE decidiu aproveitar a sua experiência no Grupo B (visto que os regulamentos do Grupo B e do Grupo S eram bastante semelhantes) e desenvolveu uma viatura capaz de competir nesta nova categoria e quem sabe, também no Grupo B.

Tendo como base o Toyota MR2 Mark I, com motor central e tracção traseira, a TTE criou o projecto MR2 222D. Foram construídos três exemplares deste projecto, que apenas tinham em comum o chassis tubular e a carroçaria feita em kevlar e fibra de carbono. Um dos exemplares tinha um motor central, montado transversalmente e tracção traseira, enquanto os outros dois exemplares tinham motores centrais, mas montados longitudinalmente, sendo que um deles tinha tracção traseira e o outro tracção integral. Este último utilizava uma caixa de velocidades especial, desenvolvida pela Xtrac.

Todos os motores eram turbo comprimidos (com 4 cilindros em linha ou 6 cilindros em V) com 2100cc. Calcula-se que os motores teriam cerca de 750cv de potência, valor esse que seria reduzido para utilização no Grupo S, com a imposição da cilindrada de 1200cc para os motores turbo comprimidos e restrição da potência para 300cv, no máximo.

Dos 3 protótipos existentes, actualmente só existem dois exemplares: um protótipo preto, com motor transversal de 4 cilindros em linha turbo comprimido e 2100cc, com tracção traseira e um protótipo branco, igual ao preto, mas com tracção integral permanente e motor longitudinal de 6 cilindros em V  turbo comprimido e 2100cc. O peso dos protótipos situa-se nos 750kg.

Em 1985, um destes protótipos (versão preta), foi testado na floresta de Eskdalemuir, na Escócia, com a presença de Ove Anderson (patrão da TTE) e de Bjôrn Waldegärd. Posteriormente, foi testado na base militar de Bagshot, em Inglaterra, sendo que após este teste, nunca mais se falou no MR2 222D. Fala-se que a Lotus também esteve envolvida no desenvolvimento do MR2 222D.

Segundo as declarações de Ove Andersson (uma das pessoas envolvidas que mais testou o MR2 222D), o carro tinha um comportamento imprevisível. Visto que tinha uma distância entre eixos bastante reduzida, elevada potência e peso muito baixo, o MR2 222D podia sobrevirar a qualquer momento, sem nenhum aviso. Em resumo, era um carro bastante nervoso e muito difícil de controlar.

Tal como os outros projectos do Grupo S, o Toyota MR2 222D foi abortado após o cancelamento do Grupo B e S, em 1987. Os protótipos que sobreviveram, ficaram guardados nos armazéns da Toyota, em parte incerta.

No entanto, vindo do nada, o Toyota MR2 222D foi avistado na edição de 2006 do Rally da Alemanha, para o WRC, aonde foi utilizado como carro para os VIP. Além disso, o carro também correu no Goodwood Festival of Speed, nesse mesmo ano. Finalizando. na Internet existem fotografias do protótipo branco numa qualquer exposição japonesa, confirmando a sua sobrevivência.

Apesar de tudo, o Toyota MR2 222D foi um projecto que ficou inacabado, do qual restaram apenas estas memórias e muito trabalho e esforço desperdiçado. No entanto, tal como Ove Andersson referiu, talvez o cancelamento desta categoria tenha sido a opção mais sensata…




%d bloggers like this: