Volkswagen Golf IV Kit Car

Tendo sido bem sucedida em 1997, a Volkswagen decidiu apostar, em 1998, na construção de uma viatura de raiz para a Formula 2, usando para isso a 4ª geração do seu modelo Golf. Ao contrário do modelo anterior, campeão em 1997 (Golf III Kit Car), pensou-se que o Golf IV Kit Car tinha sido desenvolvido em cooperação com a VW Motorsport, em Hannover.

No entanto, apenas os registos destes é que tinham origem na Alemanha, sendo o desenvolvimento e preparação das viaturas realizado em Inglaterra, pela Sony VW Racing, tal como o Golf III Kit Car. O “apoio de fábrica”, meramente simbólico, acabou por ser reduzido ao longo do período de vida deste projecto, outro facto espantoso, tendo em conta que o Campeonato Britânico de Ralis é considerado um dos melhores campeonatos do mundo e o projecto era tudo menos amador…

O Golf IV Kit Car foi desenvolvido especialmente para o Campeonato Britânico de Ralis, tendo porém em mente uma eventual participação no Campeonato Mundial de Ralis. Esse facto justifica a sua fraca presença nas provas do “Mundial”, ao contrário do seu antecessor. A sua estreia competitiva foi realizada no Vauxhall Rally Wales de 1999, com Mark Higgins e Raimund Baumschlager, mas tal como se veio a verificar durante a temporada, o carro tinha bastantes problemas de fiabilidade.

No que concerne o Campeonato Mundial de Ralis, a sua primeira presença aconteceu no Rali da Nova Zelândia de 1999, com Simon Evans ao volante. No entanto, o Golf IV Kit Car ainda competiu no Rali da Finlândia, Austrália e Grã Bretanha do mesmo ano, com resultados ridículos para uma equipa “de fábrica” com um Kit Car de 2ª geração. Alister Mcrae também fez algumas presenças pontuais ao volante do Golf, quer em ralis nacionais, como internacionais.

Para 2000, a equipa foi reforçada com a contratação de Tapio Laukkanen (campeão do CBR em 1999, com um Maxi Mégane), juntamente com Mark Higgins, mas mesmo assim a equipa não conseguiu nenhuma vitória nessa época. Este facto, juntamente com a falta de fiabilidade do carro, levou ao encerramento da Sony VW Racing. Do que restou da equipa, dois carros foram enviados para a Alemanha e outros dois para a Holanda. Duas destas viaturas acabaram destruidas, devido a acidentes, enquanto as outras duas continuam em actividade (uma destas acabou por passar pela Madeira).

Relativamente a outros Kit Cars, o Golf IV Kit Car era o segundo mais largo de todos (sendo o mais largo o Xsara Kit Car). No que concerne a mecânica, o motor de 4 cilindros e 20 válvulas com 270 cv, era oriundo do Audi A4 Superturismo, sendo o seu principal problema a faixa de rotações utilizável. Visto que se tratava de um motor de velocidade, era tipicamente “pontudo”, não oferecendo muito binário até às 7000 rpm. Relativamente à caixa de velocidades, sequencial de 6 velocidades, apresentava rapports muito curtos entre a 2ª e a 5ª velocidade, outro facto que embora ajudasse a melhorar a faixa de utilização do motor, fazia com que tivesse pouca velocidade de ponta…o comportamento do carro também não era satisfatório, faltando-lhe tracção nas classificativas de terra.

Actualmente, os Golf IV Kit Car podem-se encontrar à venda por valores entre os 50 mil e 120 mil euros, dependendo da condição, equipamento e peças disponibilizadas. Com as diversas evoluções efectuadas por equipas privadas, o Golf IV Kit Car pode ser considerado uma opção viável em campeonatos nacionais de asfalto, aonde consegue apresentar os seus principais triunfos.

Existem também algumas adaptações efectuadas, tal como a adopção do motor TDi, bem como adaptação do motor a gasolina para trabalhar com gás natural. Tanto uma, como outra experiência, não passaram disso, tendo somente carácter privado. No entanto, mesmo hoje e apesar dos problemas que sofreu na sua principal fase competitiva, o Golf IV Kit Car apresenta-se como uma boa base, à espera de quem a consiga melhorar…algo que infelizmente não teve, na sua época.

Anúncios



%d bloggers like this: